É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

MUSEU CARLOS MACHADO LEVA TRADIÇÃO DO TEAR AOS ALUNOS DA EBI DA MAIA

Quarta-Feira, dia 04 de Fevereiro de 2015

ANGRA DO HEROÍSMO – A Direção Regional da Cultura, através do Museu Carlos Machado, em parceria com o Centro Regional de Apoio ao Artesanato e a Cresaçor, promove a 6 e 13 de fevereiro, no período da tarde, junto de alunos e professores da Escola Básica Integrada da Maia, a realização de um conjunto de atividades enquadradas no projeto Tradições com Horizonte.

A iniciativa, subordinada ao tema “Voar no Tear”, visa promover a sustentação do património cultural imaterial, nomeadamente as técnicas artesanais da tecelagem, de uma forma pedagógica e divertida.

“O tear tradicional e a arte da tecelagem nos Açores têm hoje lugar não só no artesanato regional, mas na história social, cultural e económica do arquipélago”, salientou Sílvia Fonseca e Sousa, coordenadora da coleção de Etnografia Regional do Museu Carlos Machado, recordando que “desde o povoamento destas ilhas, com recurso às madeiras endógenas, começaram a construir-se teares a partir dos quais se criavam peças de vestuário e têxteis de casa, destacando-se, a partir de meados do século XX, o predomínio das colchas de lã e das mantas de retalhos”.

Nas ilhas do arquipélago açoriano, as atividades relativas à tecelagem tiveram, de modo geral, “um caráter caseiro e artesanal, estando-lhes associada uma técnica manual primitiva”, afirmou, acrescentando que “era um trabalho realizado normalmente em comunidades rurais, estava a cargo das mulheres e a sua aprendizagem iniciava-se na infância, quase sempre em contexto familiar”.

Os fios de linho e de lã, provenientes da agricultura e da criação de gado, eram as matérias-primas mais utilizadas, recorrendo-se ainda a retalhos de diversos tecidos ou ao fio de algodão, resultando daí trabalhos que “podiam ser singelos, com a cor natural do linho, da lã e do algodão, ou apresentar vários elementos decorativos, diferentes texturas e padrões e cores fortes resultantes do processo tradicional de tinturaria”, frisou.

“Verdadeiras obras de dedicação e arte popular, as peças de tecelagem tradicional dos Açores servem hoje de inspiração para as novas criações, arquétipos e funcionalidades da tecelagem contemporânea”, salientou Sílvia Fonseca e Sousa.

 

Fonte: Local.pt

http://local.pt/portugal/acores/museu-carlos-machado-leva-tradicao-do-tear-aos-alunos-da-ebi-da-maia/




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados