É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Carla Almeida: «O Festival de Balões de Ar Quente terá muita emoção, adrenalina, movimento, cor e animação»

Quarta-Feira, dia 22 de Abril de 2015

Carla Almeida aguarda com expetativa o Festival de Balões de Ar Quente – Feel the sky, agendado para a Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, na Região Autónoma dos Açores, entre 1 e 5 de julho deste ano. Uma das organizadores do evento, a diretora da Learn to Appreciate garante um festival com «muita emoção, adrenalina, movimento, cor e animação».

A diretora da Learn to Appreciate confessa ao Diário Digital que a ideia de organizar o Festival de Balões de Ar Quente – Feel the sky na Ribeira Grande surgiu quando viu uma reportagem na televisão sobre o 18.º Festival do Alentejo. «Se é possível no 

Alentejo, porque não cá?», questionou. A resposta é uma: «Sim, também é possível organizar o festival no Açores»…

O que é a Learn to Appreciate (LA)? Qual a razão da sua existência?

A LA é uma associação que, sem esquecer os fins do associativismo, pretende abraçar projetos que primem pela diferença e pela autenticidade. A implementação dos programas da Junior Achievement, organização de eventos, hospedeiras, decoração e catering são apenas algumas das nossas atividades.

Há algum evento que recorda com mais carinho? Por exemplo, uma iniciativa

que ultrapassou totalmente as sua expetativa?

Um projeto como o da LA implica, necessariamente, muito carinho em todas as atividades desenvolvidas. Só assim se consegue estar envolvido e superar expetativas. Trabalhamos com paixão, logo, o carinho é imediato. Mas atrevo-me a dizer que o I Festival de Balões de Ar Quente, pelas experiências e aprendizagens que tem proporcionado, é um projeto pelo qual tenho um carinho muito especial. Além disso, é uma iniciativa que, nesta fase, já ultrapassou todas as nossas expetativas.

É complicado, nesta fase que passamos, mover as forças necessárias para alcançar os vossos intentos? 

Mais do que a fase que o país e a região atravessa, a dificuldade prende-se com o facto de estarmos numa ilha. Apesar de ser a maior do Arquipélago, a insularidade traz obstáculos. Por isso, há que ter muita perseverança, capacidade de adaptação e criatividade para transformar os obstáculos em oportunidades. Claro que a crise é o argumento mais utilizado, mas procuramos encará-la como uma janela para crescer.

Podemos considerar a criatividade a palavra base da vossa associação?

Sim, a criatividade associada à paixão pelo que se faz. Quando criamos com paixão, as ideias fluem melhor, encaixam de forma correta. É uma fórmula que está nos genes da nossa equipa. O nosso slogan, "Assinamos com arte", reforça isso mesmo.

Como surgiu a ligação entre a associação e o I Festival Balões Ar Quente da Ribeira Grande – Feel the sky?

A LA teve a iniciativa na organização do I Festival de Balões de Ar Quente. A ideia surgiu após uma reportagem sobre o 18.º Festival do Alentejo. Como em todos os projetos, surgiu o "click": «Se é possível no Alentejo, porque não cá?» A partir daí, aferimos acerca da possibilidade da realização do festival. Do parecer positivo ao estabelecimento de parcerias com o Clube de Balonismo Alentejo Sem Fronteiras/Publibalão foi um salto.

E como explicaria essa parceria?

É uma parceria que tem funcionado muito bem. O conhecimento de ambas as entidades tem permitido que toda a preparação do evento esteja a decorrer com transparência e mais-valia recíproca.

E o que pretendem retirar com esta associação?

O nosso objetivo é deixar um legado. Qualquer associação tem o seu objetivo de atuação. O nosso é promover e desenvolver, da melhor forma que sabemos, em conjunto com todas as entidades que se associam a nós, aquilo em que acreditamos E sempre com o futuro para além do horizonte.

Do seu ponto de vista, quais os principais benefícios que este festival trará à Ribeira Grande e, simultaneamente, ao Açores?

Relativamente à Ribeira Grande, a promoção dos serviços e produtos nos Setores Turísticos e de Lazer e a valorização do concelho como destino turístico de excelência. Simultaneamente, a afirmação do turismo nos Açores.

Acredita que o Açores deve ser definitivamente visto do ar?

O Açores deve ser visto de todas as perspetivas possíveis. Contudo, do ar, tem-se uma visão muito mais abrangente e única. Para mim, é no ar que temos a noção da beleza e da dimensão na sua plenitude.

Como definiria o concelho de Ribeira Grande por terra? E por mar?

É o concelho mais plano da ilha, com um património muito vasto e rico nas suas várias vertentes. A par das paisagens únicas, o concelho tem locais de excelência para o lazer e para o turismo. Da Lagoa do Fogo à Caldeira Velha, passando pelos trilhos, praias, baías e piscinas naturais, há muito por descobrir. Considero um ponto obrigatório a visitar.

Já conhece o concelho pelo ar?

Ainda não, mas conto fazê-lo já em julho próximo.

Já andou de balão de ar quente?

Fiz o meu batismo de voo na Praia dos Moinhos, pelo que, apesar de não ter sido um voo livre, a sensação de liberdade, de flutuar, fez-me querer ter a experiência de voar. Confesso que no início tive receio, mas senti segurança para o fazer porque confio plenamente nos pilotos e na sua experiência. Aliás, as questões de segurança são a principal prioridade da direção técnica deste evento, ainda para mais porque estamos numa ilha.

O que os visitantes encontrarão no I Festival Balões Ar Quente da Ribeira Grande – Feel the sky?

O festival irá contemplar a realização de Voos Cativos no concelho, Voos Livres (nos quais será possível desfrutar de um voo a 360º, onde o contato com a natureza é uma 

constante). Existirão ainda espetáculos noturnos – Night Glow – com luzes e música, onde a comunidade local poderá experienciar o balão de ar quente em voo cativo.

Também estão previstas ações para que algumas crianças possam realizar o seu batismo de voo. Em suma, muita emoção, adrenalina, movimento, cor e animação.

E o que os frequentadores do festival levarão para casa como recordações?

A magia de ver um balão de ar quente, ao vivo e a cores, algo que faz parte do nosso imaginário. E, claro, toda a adrenalina que envolve um festival.

 

Fonte: Diário digital

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=769145




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados