É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Dormidas na hotelaria Açoriana com quebras de 7,7%

Sexta-Feira, dia 15 de Abril de 2011

No mês de Fevereiro, o arquipélago dos Açores registou uma quebra de 7,7% ao nível das dormidas, face a igual período de 2010.
Segundo dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), em Fevereiro de 2011, a hotelaria açoriana registou 35,8 mil dormidas, um valor 7,7% inferior ao verificado em igual período de 2010. Para este resultado contribuiu, sobretudo, o desempenho negativo dos não-residentes, que registaram uma quebra de 16,3%, enquanto que os residentes assinalaram um decréscimo de 3,1%. Neste período registaram-se 14,5 mil hóspedes, uma variação homóloga negativa de 4,9%.
De Janeiro a Fevereiro de 2011, a hotelaria açoriana registou cerca de 64 mil dormidas, um valor 5,3% inferior ao verificado em igual período de 2010. Para este resultado contribuiu sobretudo o desempenho negativo dos não-residentes, que assinalaram quebras de 15,4%, enquanto que os residentes registaram um decréscimo de 0,6%. Já os hóspedes somaram cerca de 26,3 mil dormidas neste período, uma variação homóloga negativa de 4,4%.
No que concerne aos principais mercados emissores, no acumulado de Janeiro a Fevereiro, os Portugueses atingiram cerca de 46 mil dormidas, enquanto que os estrangeiros representaram um total acumulado de 17,9 mil dormidas.
A destacar o mercado da Suécia, que no período de Janeiro a Fevereiro, apresentou um crescimento homólogo bastante significativo de 370,2% ao nível das dormidas. Pior desempenho tiveram a Finlândia e a Alemanha, com quebras homólogas de 35,3% e 6,6%, respectivamente.
Na análise das dormidas por ilha, no acumulado de Janeiro a Fevereiro, as ilhas do Pico, Graciosa e Faial apresentaram resultados positivos com aumentos superiores a 20%. As restantes ilhas tiveram desempenho negativo neste período, sobretudo a ilha de S. Jorge (-38,8%). Seguiram-se as Flores (-22,4%), a Terceira (-18,9%), S. Miguel (-17,9%) e Santa Maria (-8,6%). Neste indicador, a Ilha de S. Miguel concentrou 66,3% do total das dormidas (cerca de 44,6 mil).
No que diz respeito à taxa de ocupação-cama no mês de Fevereiro, o arquipélago atingiu os 17,2%, um valor 0,3% inferior ao registado no mesmo mês de 2009. Este indicador foi mais elevado na ilha de S. Miguel (19,8%), ainda assim inferior à média nacional (27,2%).
Por sua vez os proveitos totais, no acumulado de Janeiro a Fevereiro, atingiram os 3,4 milhões de euros, o que corresponde a uma variação homóloga negativa de 11%. Já os proveitos de aposento chegaram aos 2,2 milhões de euros, o que representa uma quebra homóloga de 13,5%.
Entre os meses de Janeiro e Fevereiro, as ilhas de S. Miguel (1,4 milhões de euros), Terceira (400 mil euros) e Faial (218 mil de euros), foram as que tiveram maior peso nos proveitos totais, respectivamente 65,2%, 15,9% e 10,2%. Neste indicador, destaque para as ilhas Graciosa e Faial, que registaram taxas de variação homóloga positivas de 75,3% e de 36,6%, respectivamente, ao nível dos proveitos totais.
No mês de Fevereiro, os proveitos totais registaram uma variação homóloga positiva de 0,9%, enquanto os proveitos de aposento tiveram uma quebra de 2,4%.

Quanto ao RevPar (rendimento médio por quarto), no acumulado de Janeiro a Fevereiro, este indicador ficou-se nos 9,1 euros, uma variação homóloga negativa de 11,8%. A nível nacional o RevPar fixou-se nos 16,2 euros.

 

 

Fonte: Observatório do Turismo dos Açores

 http://www.observatorioturismoacores.com/noticia.php?id=1162