É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

CRESCIMENTO DA HOTELARIA DOS AÇORES TAMBÉM SE FAZ VIA AUMENTO DA ESTADA MÉDIA

Sábado, dia 19 de Março de 2016

O alojamento turístico dos Açores manteve em Janeiro as taxas ‘explosivas’ de crescimento que vêm desde a abertura às low cost das ligações aéreas entre o continente e a região, com a particularidade de o aumento dos proveitos em 59,3% ser em grande medida por aumento do número de hóspedes, mas também por aumento da receita média por cliente, via subida da estada média.

 

 

Os dados divulgados hoje pelo INE mostram que, assim, o alojamento turístico açoriano superou este ano pela primeira vez os dois milhões de euros de proveitos num mês de Janeiro.

 

Segundo o Instituto, o alojamento turístico dos Açores recebeu 21.110 hóspedes em Janeiro, +46,3% ou mais 6.676 que há um ano, e este aumento, embora ‘explosivo’, ‘empalidece’ quando comparado com a evolução das dormidas, que tiveram um aumento em 66,5%, e dos proveitos, cujo aumento foi de 59,3%.

Estes dados evidenciam que a hotelaria dos Açores potenciou o aumento do número de hóspedes em 46,3% com uma subida da estada média em 13,9%, para 2,71 noites, pelo que em número de dormidas o sector teve um aumento em 66,5% ou 22.868, atingindo um total de 57.236, que significa que ultrapassou finalmente o recorde de pernoitas no primeiros mês do ano que datava de 2007 (45.548).

Em proveitos, os dados do INE mostram que o alojamento turístico dos Açores, embora tendo uma queda da receita média por dormida, obteve uma receita maior por cliente que teve alojado.

Os seus proveitos totais por dormida foram de 37,1 euros, que é o valor mais baixo para um mês de Janeiro desde pelo menos 2012 e fica 4,3% abaixo de 2015, mas por hóspede a tendência foi inversa, com uma subida em 8,9%, para 100,7 euros.

A descida da receita média por dormida é uma tendência que geralmente acompanha o aumento da estada média, restando por saber se essa descida afecta ou não a rentabilização da capacidade instalada.

Ora, nesse aspecto o alojamento turístico dos Açores só tem motivos de comemoração, pois segundo o INE a sua RevPAR, indicador mais utilizado para comparações pois mede a receita de quartos por quarto disponível, teve a subida mais forte do mês em 61,8%, para 12,3 euros.

Esta variação, bem como as que dizem respeito a hóspedes, dormidas e proveitos reflectem o facto de ainda se estar a comparar um mês pós-liberalização com um mês pré-liberalização, o que não diminui o facto de o sector turístico açoriano ter auferido em médio mais 4,7 euros por quarto disponível, que se reflecte num aumento dos proveitos de aposento face a Janeiro de 2015 em 64,9% ou 585 mil euros, para 1,487 milhões.

Em proveitos totais, o aumento foi em 59,3% ou 791 mil euros, para 2,126 euros, pois o aumento dos outros proveitos, desde alimentação e bebidas, a lavandaria, telecomunicações, etc., foi de 47,8% ou 207 mil euros, para 639 mil euros.

 

 

 

Fonte: Presstur;

http://www.presstur.com/empresas---negocios/hotelaria/crescimento-da-hotelaria-dos-acores-tambem-se-faz-via-aumento-da-estada-media/




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados