É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

EM 2011 Açores com quatro Chaves -Verde nas ilhas do Pico e da Terceira

Terça-Feira, dia 07 de Junho de 2011

Este ano, os Açores mantêm os quatro galardões de “Chave Verde” que distinguem as unidades hoteleiras insulares com boas práticas ambientais e energéticas. Trata-se de uma classificação atribuída pela Associação Bandeira Azul de Portugal que qualificou, ao todo, 28 estabelecimentos no país em 2011.

Na lista de galardoados da edição de 2011 da campanha promovida pela Associação Bandeira Azul de Portugal (ABAE) apenas volta a figurar o Grupo Central, com três investimentos na ilha do Pico e um na Terceira que receberem o galardão “Chave Verde/Green Key”.

O turismo em espaço rural da “Quinta do Martelo”, em Angra do Heroísmo; a Casa da Torres, nas Lajes do Pico; a Casa do Ouvidor – Sociedade de Emprendimento Turístico em Espaço Rural Ldª, em São Roque do Pico; e o hotel-apartamento Baía da Barca, na Madalena do Pico – são os locais distinguidos na região este ano. Em 2010, figurava a ilha do Faial, e há dois anos, São Miguel, tendo já existido, em 2009, seis “Chaves Verdes” no arquipélago.

Este ano, apenas duas ilhas do Grupo Central figuram nesta listagem.

 

Educação ambiental em espaço hoteleiro 

O diploma “Chave Verde” é um programa de educação ambiental, de âmbito internacional, que pretende acolher na sua rede as estruturas hoteleiras preocupadas com a protecção ambiental.

Na prática, estes espaços são identificados com uma placa própria, afixada durante 12 meses, período de vigência do galardão, até nova avaliação feita por um conjunto de entidades do sector público e privado. Este ano, a ABAE entregou 28 “Green keys” em Portugal, sendo que, além dos quatro nos Açores, foram classificados cinco na Madeira. O projecto, que nasceu na Dinamarca em 1994 e que iniciou a sua implementação em Portugal em 2007, está actualmente em desenvolvimento em 16 países. A iniciativa da responsabilidade da Fundação para a Educação Ambiental é coordenada em Portugal pela Associação bandeira Azul com o apoio da Comissão Nacional constituída pelas entidades do sector tanto públicas como privadas.

Visitas de acompanhamento

Quatro objectivos estão na génese destas classificações de natureza hoteleira: sensibilizar para a alteração de práticas e comportamentos entre os responsáveis, participantes e decisores do sector turístico, como empresas, autoridades, clientes e comunidades locais; envolver estes agentes na responsabilização face ao Turismo Sustentável; reconhecer as iniciativas de gestão ambiental de sucesso como mais valias no caminho para um Turismo Sustentável; e contribuir através de um melhor desempenho ambiental do sector do turismo para a promoção de Agendas 21 Locais – referem os promotores. Na materialização destes pressupostos, a ABAE assenta a aceitação de candidaturas com vários processos, desde o da avaliação, com base na análise documental dos empreendimentos hoteleiros, em que figuram desde as licenças de funcionamento, ao plano de acção ambiental e mesmo aos registos de consumo energéticos, bem como às avaliações presenciais. A organização realiza ainda, desde Março até Setembro, várias visitas de acompanhamento. A par destas iniciativas, a ABAE organiza ainda workshops sobre o programa “Chave Verde”, que hoje, acontece em Estarreja. Mais recentemente, o projecto chegou às redes sociais, possuindo um endereço de promoção no Facebook.

Júri “Chave-Verde” multidiscipinar

Além da ABAE, o projecto “Chave Verde” possui uma comissão/júri nacional composto pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, Turismo de Portugal, pelas comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve, e pelas secretarias regionais do Ambiente e do Turismo dos Açores e Madeira. Direcção Geral de Saúde, Direcção Geral de Geologia e Energia, LNEG - Laboratório Nacional de Energia e Geologia, Autoridade Nacional de Protecção Civil, Associação da Hotelaria de Portugal, Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, Universidade Nova de Lisboa e direcção regionais de Economia do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e do Algarve compõem os restantes membros da comissão/júri da “Chave Verde”.

Envolver turistas na defesa ambiental

Enquadrada na gestão ambiental que se pretende alargada aos colaboradores do investimento hoteleiro, está a informação que a “Chave Verde” disponibiliza junto dos clientes, dos turistas e visitantes: “os clientes devem estar sempre informados sobre as actividades ambientais implementadas no empreendimento, as quais permitem oferecer a qualidade reconhecida através do Diploma “A Chave Verde”. Isto, deve ser efectuado com o objectivo de informar os clientes da possibilidade de contribuírem também para o esforço e trabalho ambiental realizado, mas também para tornar esse esforço e trabalho visíveis”, refere a ABAE.

Porque o consumo de água é uma questão importante na área ambiental, sendo um recurso limitado, e porque as águas residuais podem ser uma ameaça, apela-se à poupança de água porque a maior parte do consumo de água provém dos quartos, das limpezas e das águas utilizadas na confecção de alimentos na cozinha.

No que diz respeito à higiene e limpeza, que contêm agentes prejudiciais ao ambiente, “torna-se importante limitar o uso destes produtos ao mais baixo nível possível. Isto, poderá ser alcançado evitando as limpezas desnecessárias e utilizando, por outro lado, as dosagens correctas”.

 

Outro apelo vai para a redução de resíduos e à reciclagem.

 

Em termos de animação, os empreendimentos galardoados com o diploma “Chave Verde” devem estar aptos a proporcionar aos seus clientes experiências ao ar livre, em contacto directo com a natureza.

 

 

 

 

Fonte: A União, 07-06-2011

http://www.auniao.com/noticias/ver.php?id=24150




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados