É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Da ilha Terceira para o mundo FÓRUM TAURINO DESTACA PAPEL DA IMPRENSA

Terça-Feira, dia 17 de Janeiro de 2012

Joaquim Letria, Manuel Alegre, Maurício do Vale, Maria São José, Paco Aguado e Vicente Zabala de la Serna são algumas das figuras que marcarão presença no II Fórum de Cultura Taurina denominado ao tema “A Comunicação na Festa”.

Este evento, organizado pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense, decorrerá na ilha Terceira, entre 26 e 28 de Janeiro, e prevê reunir cerca de duas centenas de participantes de nove países do mundo, para debater e partilhar o papel da imprensa no contexto da tauromaquia. 

Ao contrário do ano de 2009, cujos conteúdos abrangeram múltiplos campos de trabalho, a segunda edição do Fórum Mundial de Cultura Taurina destaca uma única temática que será abordada sob várias perspectivas e realidades – “A Comunicação na Festa” integra mesas-redondas, conferências, cinema e momento de formação para jornalistas, repórteres e autores de blogues e sites de conteúdo taurino.

O evento, organizado pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense (TTT), contará com a presença de figuras nacionais e internacionais ligadas a diferentes órgãos de comunicação social de nove países do mundo.

Destacam-se Joaquim Letria, Manuel Alegre, Maurício do Vale, Maria São José, Paco Aguado e Vicente Zabala de la Serna, entre outros nomes indicados no programa, os quais irão reunir na ilha Terceira, no Centro Cultural de Angra do Heroísmo, no auditório da Escola Tomás de Borba e no auditório do Ramo Grande na Praia da Vitória, somando cerca de duas centenas de participantes, para debater e partilhar o papel da imprensa no contexto taurino.

“A Comunicação porque entendemos ser fundamental. Os taurinos deverão concluir que a Festa terá cometido alguns erros no passado por culpa própria. Não saber comunicar, não saber vender a sua imagem, por exemplo, do interior para o exterior e vice-versa. Estas são conclusões nossas que os especialistas abordarão com certeza”, explica o presidente da TTT, em conferência de imprensa, sobre a temática escolhida para debate e reflexão durante os dias 26, 27 e 28 de Janeiro.

Arlindo Teles adianta que, possivelmente, a iniciativa irá realizar-se “mais vezes” recordando 2009, o ano da primeira edição, como o ponto de partida de um encontro de especialistas, aficionados e simpatizantes cujo objectivo primário é equacionar a “festa brava” à escala mundial.

“E os Açores têm sido vistos como uma zona neutral, exótico, e, por isso, voltou a ter melhor acolhimento a sua realização outra vez na Terceira”, salienta.

Factor turístico

O responsável pela TTT considera o Fórum de Cultura Taurina um “excelente meio promocional” turístico da região. Afirma que, desde o ano de 2008, os eventos realizados na ilha Terceira têm contribuído para a projecção mundial do destino Açores.

“Como aficionados já tínhamos essa convicção mas agora, a pouco e pouco, estamos a conseguir comprovar aos nossos responsáveis políticos e, também, a quem aceita o desafio de nos apoiar através das verbas públicas que são os diplomas para os congressos”, declara Arlindo Teles.

Assim, o II Fórum de Cultura Taurina está orçado em cerca de 110 mil euros, sendo que, em comparação com o ano de 2009, sofreu um corte de 30 por cento.

As refeições dos congressistas terão lugar no Solar da Madredeus, Lawn Tennis Clube, Academia de Juventude da ilha Terceira, Clube de Golfe da ilha Terceira e Casa do Povo da Ribeirinha.

 

  Workshop para jornalistas

Para além das conferências, mesas-redondas e, ainda, a projecção de um filme intitulado “El brau blau” [O Toiro Negro], de Daniel Villamediana, o programa do II Fórum da Cultura Taurina tem previsto a realização de um workshop sobre informação taurina para profissionais de comunicação social locais, agendada para 26 de Janeiro, das 18h00 às 21h00.

Os conteúdos estão tripartidos em toiros na imprensa, rádio e televisão, coordenados por Alfredo Casas e Paco Aguado; toiros na internet, por Mário Juárez; e toiros na fotografia, a cargo de Juan Moreno.

Enquanto as mesas-redondas têm como designações “Situação da Informação Taurina em Portugal”, “Informação Taurina no Mundo”, “Jornalismo taurino: linguagem e mensagem no séc. XXI”, “Toureiros e ganadeiros comentadores: da arena ao microfone”, “Blogues e redes sociais: a força dos Aficionados na Internet” e, também, “A Visão do Artista”, as conferências intitulam-se “Situação da Festa dos Toiros no Equador”, por Santiago Aguilar, Catalina Chiriboga e José Maria Morán; “Intelectuais que escreveram sobre toiros”, por Alejandro Pizarroso; e “Obra jornalistica de Sanchez Mejías”, por Juan Carlos Gil.

 

SORTE DE VARAS NO PARLAMENTO

Considerando a manifestação de anti-taurinos nas redes sociais e o envio de emails designados por “Apelo aos Açores – ENVIO DE E-MAILS DE DESAGRADO E REPÚDIO”, por parte do grupo “Campanha contra as touradas no mundo”, cujos destinatários são figuras da esfera política açoriana, órgãos de comunicação social, e sociedade em geral, o presidente da TTT é peremptório: “a aficion em geral não tem a ilusão de que os movimentos anti-taurinos vão deixar de se manifestar. Para nós é habitual. Eles têm a sua opinião, nós respeitamos, tomara que nos respeitassem a nós também, efectivamente não o fazem. Não nos preocupa no sentido de nos fazer pensar que o evento não deveria ser realizado. Pelo contrário”.

Arlindo Teles desmente a acusação desse movimento que alega a existência do Fórum como “uma primeira etapa no caminho de mais uma tentativa de aumentar a barbaridade do tratamento dado aos touros e aos cavalos através da legalização da sorte de varas, primeiro passo para a introdução dos toiros de morte”.  

“O Fórum não é uma ferramenta para voltarmos a falar sobre a sorte de varas, é, antes, um encontro com a comunidade taurina internacional para debater assuntos considerados relevantes”, esclarece acrescentando que, entretanto, a luta pela sorte de varas continua. “Estamos a dar passos significativos na nossa afirmação no exterior, temos ganadarias que evoluíram imenso, mas isto tudo só é possível com o plano de qualidade que a sorte de varas permite não só do que se vê na arena mas também da selecção nas ganadarias”, defende.

Questionado sobre mais uma tentativa de legalização da sorte de varas no Parlamento Regional no decorrer de 2012, o presidente da TTT responde: “Não está nos nossos planos”.

 

 PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE

Entretanto, o responsável pela TTT esteve presente há dias num congresso em Madrid para a troca de impressões com a comunidade taurina cujo objectivo é elevar a tauromaquia a Património Cultural da Humanidade segundo as normas da UNESCO.

Para já, adianta, a classificação em Espanha está a decorrer a nível local, por regiões, e, até ao momento, contam com três centenas de localidades registadas.

No nosso país, acrescenta, o trabalho já começou a ser feito e, a título geral, considera o encontro “importante e frutífero”.

 

OBRAS NA TERTÚLIA

A Tertúlia Tauromáquica Terceirense (TTT) deu por terminada este mês de Janeiro as obras de requalificação do imóvel localizado junto à Praça de Toiros da ilha Terceira.

De acordo com José Parreira, arquitecto e elemento da direcção da TTT, revela que as intervenções ocorreram na cozinha do bar e sanitários, a nível de interior, e na esplanada traseira ao edifício, a nível de exterior.

“Era um dever da comissão fazer esse trabalho. Apesar de o edifício contar com alguns anos, as obras são pontuais e, naturalmente, ajustadas ao orçamento disponível”, salienta.

Já sobre a Feira de São João 2012, e sem querer revelar pormenores, o presidente da TTT adianta que o trabalho ainda está em fase de contactos e negociações com cavaleiros, toureiros, ganadeiros e outros intervenientes da “festa brava”.

“Até ao próximo mês de Fevereiro queremos ter o cartel fechado”, remata Arlindo Teles.

Fonte: A União,

http://www.auniao.com/noticias/ver.php?id=26689

Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados