É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Um passeio pela Ilha de Santa Maria

Sexta-Feira, dia 20 de Janeiro de 2012

Na edição desta semana da Volta a Portugal voltamos às “pérolas do Atlântico” para lhe trazer em mais pormenor cada uma das ilhas do arquipélago dos Açores. Começamos pela ilha de Santa Maria e pelas suas cinco freguesias, a saber: Vila do Porto, São Pedro, Almagreira, Santo Espírito e Santa Bárbara. Fique então com um pouco de história, com os locais de maior interesse, com as festas locais, com o artesanato e com a gastronomia da ilha de Santa Maria...
A data de descoberta da ilha é, ainda hoje, polémica, sendo no entanto apontada por alguns historiadores, como a primeira ilha do Arquipélago onde os navega-dores portugueses aportaram, entre 1427 e 1432. Santa Maria foi a primeira ilha a ser povoada, tendo-se os seus primeiros habitantes fixado na Praia de Lobos, ao longo da Ribeira do Capitão, em 1439. Até ao final do século a ilha vai registar um grande desenvolvimento, o que leva que o primeiro foral de vila nos Açores seja concedido à localidade do Porto, que desde então passou a ser denominada Vila do Porto. Em 1493, no regresso da sua primeira viagem à América, parte dos companheiros de Cristóvão Colombo desembarcaram perto do Lugar dos Anjos, para cumprir uma promessa, feita no alto mar, de ouvir Missa na terra a que primeiro chegassem e houvesse uma igreja invocando a Mãe de Deus.
Século XVI-XVII: a ilha foi alvo de ataques de corsários franceses, turcos e mouros que pilharam e incendiaram a vila, tendo os últimos, em 1676, ocupado o Lugar dos Anjos e flagelado os seus habitantes.
Século XIX: Santa Maria teve um im-portante papel durante as lutas entre Liberais e Absolutistas. Alguns dos seus naturais participaram, em 1832, no desembarque de Mindelo e no cerco da cidade do Porto.
Século XX: em 1901, a ilha recebeu a visita régia de D. Carlos e Dona Amélia. Ainda no tempo da Monarquia, em 1908, elegeu a primeira Câmara republicana do Arquipélago. Em 1944 o aeroporto de Santa Maria foi construído por Forças Americanas, tendo sido, dois anos mais tarde, aberto ao tráfego nacional e internacional.

Locais de maior interesse
Santa Maria é a única ilha do Arquipélago em que afloram depósitos sedimentares calcários muito antigos, onde é fácil encontrar grande variedade de fósseis de moluscos e de outras espécies de maior porte. Tem uma paisagem variada, apre-sentando uma zona bastante acidentada a noroeste, constituída pelas freguesias de Santa Bárbara e de Santo Espírito, e outra mais plana, onde se situam as freguesias de Vila do Porto, S. Pedro, Almagreira e o Aeroporto.
Toda a costa é bastante recortada, quer em pontas, quer em baías, que oferecem excelentes condições para a prática de diversos desportos náuticos.
A praia Formosa constitui um dos recantos mais apreciados da ilha, nomeadamente nos meses de verão, quando a sua extensa praia de areia fina e clara é frequentada por muitos banhistas. De igual modo, é conhecida internacionalmente como um dos melhores lugares para a prática de “surf”.
A baía de São Lourenço, a noroeste, oferece um panorama magnífico e é um apetecido lugar de veraneio. Vinhedos plantados em típicos “currais”, sobem em degraus as suas encostas e a enseada acolhe uma maravilhosa praia de areia clara, no extremo da qual se situa o ilhéu do Romeiro, embelezado por uma curiosa gruta com estalactites e estalagmites, acessível de barco e com cais interior natural.
A Maia e os Anjos são outras das localidades a incluir nos seus passeios. Nestes aprazíveis lugares de veraneio poderá banhar-se em piscinas naturais de águas transparentes, formadas por rochedos vulcânicos.
As baías de S. Lourenço, da Praia, dos Anjos e da Maia são consideradas Reservas Naturais.
Diversos miradouros dão a panorâmica da costa, sendo de salientar o das Fontinhas, o das Lagoínhas e o do Espigão, sobre a Baía de São Lourenço.
Picos: conjunto de elevações situadas em pleno centro de Santa Maria onde se encontram vestígios da vegetação primitiva com que os primeiros povoadores se depararam. O Pico Alto (590 m) é de maior altitude. Do seu miradouro podem-se desfrutar paisagens deslumbrantes sobre quase toda a ilha.
As actividades vulcânicas, que deram origem à ilha, proporcionam aos amantes da espeleologia profundas fendas e túneis, conhecidos por furnas, por onde é possível penetrar nos segredos da terra.
Merecem visita a Furna das Pombas, com 337 metros de comprimento, e a Fu-rna dos Anjos, com um comprimento de cerca de 118 metros. A visita às furnas exige a presença de um guia e o uso de equipamento apropriado.
As Formigas, conjunto de oito ilhéus, situados à distância de 37 km da costa Norte de Santa Maria, é uma zona de grande riqueza a nível de fauna subaquática e local de poiso e nidificação de aves marinhas, sendo, por isso, considerada reserva natural.

Festas locais
Trazidas de Portugal com os primeiros povoadores, as Festas do Espírito Santo, cuja origem está intimamente ligada à acção caritativa da Rainha Santa Isabel, no século XIV, mantêm-se vivas em Santa Maria. A coroação do Imperador, a exposição das suas insígnias - coroa e ceptro - nos teatros das povoações, o cortejo do Imperador e da Imperatriz, com o seu séquito, as mulheres levando açafates com pão e vinho, os carros de bois ostentando sobre a canga coloridas decorações de papel e trazendo ofertas para o bodo, a música e os cantares dos foliões, são fases de um cerimonial cujas origens se perdem no tempo. No dia de festa, que varia de povoação para povoação, logo de madrugada são acesas as fogueiras que vão aquecer as panelas de ferro onde são cozinhadas as sopas do império e os pratos de carne. O bodo atrai todos os habitantes da povoação e arredores, que graciosamente comem num ambiente de alegria.
Têm também colorido e interesse a festa da padroeira, Senhora da Assunção, em Vila do Porto, a 15 de agosto; a festa de Santo Amaro, na Praia, Almagreira, a 15 de janeiro; e as festas dos Santos Padro-eiros das paróquias, durante os meses de verão. Todas as cerimónias religiosas, vivi-das com devoção, são completadas por arraiais, música e animação.
Organizado durante o mês de agosto por diversas entidades locais ligadas ao turismo e à cultura, o Festival Maré de agosto engloba diversas manifestações mu-sicais, literárias e plásticas.

Artesanato e folclore
A dinamização da ilha passa um pouco por todas as áreas. No que se refere ao artesanato, note-se a presença da Cooperativa de Artesanato de Santa Maria. Esta cooperativa desenvolve a sua actividade na área da panificação, doçaria e tecelagem.
Embora já sem o uso corrente que teve em tempos idos, o capote e o capelo continuam a constituir o traje mais típico quer desta ilha, quer de outras do Arquipélago. Na tecelagem caseira, merecem um especial destaque, as camisolas de lã branca grosseira, as camisas de linho bordadas, os casacos femininos bordados e os fatos de estamenha.
A música popular teve as suas origens no folclore levado, por altura do povoamento, de Portugal Continental, particularmente do Alentejo e das Beiras. No entanto, por influência do meio insular, do clima e outros factores, adquiriu aspectos muito próprios, quer nas danças e cantares, quer nos instrumentos, como é o caso da viola de arame e do testo. As modas, dançadas sempre a preceito, têm nomes que despertam a curiosidade, como o “pezinho da garça”, “moda do moinho de mão”, “o alfinete”, “o balão”, “os mouros”, fazendo mover os corpos em atraentes bailados.

Gastronomia
O caldo de nabos, o bolo na panela, caçoila, molhos de porco, sopas do Império são os pratos de uma cozinha muito típica e saborosa.
É na doçaria que Santa Maria se esmera em receitas que, desde há séculos, são confeccionadas com carinho: suspiros, melindre, biscoitos-de-orelha, cavacas, encanelados, brindeirinhos, biscoitos de aguar-dente, tigeladas, biscoitos estalados e bolinhos de consoada.

Os “cerrados” de São Lourenço produzem o vinho de cheiro, tão ao gosto dos açorianos. Aguardente da terra, vinho aba-fado, vinho bastardinho, licor de amora e de leite constituem os digestivos produzidos na ilha por processos artesanais.

Fonte:Mundo Português,

http://www.mundoportugues.org/content/1/10162/passeio-pela-ilha-santa-maria/




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados