É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Lamas e pedra-pomes usados em cosméticos

Quarta-Feira, dia 29 de Fevereiro de 2012

GRACIOSA acolhe colóquio sobre termalismo de 29 a 31 de Março.

Colóquio na ilha Graciosa vai discutir valências terapêuticas e oportunidades de desenvolvimento do termalismo na Região, em Março.

Lamas termais existentes nos Açores e a pedra-pomes, abundante no arquipélago, deram origem a produtos dermocosméticos, cujas propriedades terapêuticas estão neste momento a ser testadas.

Os produtos resultam de estudos, no âmbito do projeto TERMAZ, desenvolvido pelo Instituto de Inovação Tecnológica dos Açores (INOVA).

As lamas termais e a pedra-pomes foram utilizadas em cremes e sabonetes. A composição química das lamas poderá ajudar na resolução de alguns problemas dermatológicos e reumatológicos, enquanto que a pedra-pomes tem propriedades esfoliantes.

Estes e outros resultados do projeto TERMAZ, desenvolvido nos últimos seis a sete anos, serão apresentados no colóquio "Termalismo na Ilha Graciosa: Valências Terapêuticas e Oportunidades de Desenvolvimento", que decorrerá no Hotel Graciosa e nas Termas do Carapacho, de 29 a 31 de Março.

Segundo João Carlos Nunes, responsável pela organização, o evento tem três objetivos: dar a conhecer o que o INOVA tem feito no âmbito do projeto TERMAZ; divulgar a linha de investigação e valorizar os produtos endógenos dos Açores, como as lamas termais e a pedra pome; e divulgar melhor as potencialidades das Termas do Carapacho no turismo de bem-estar e saúde, dentro do arquipélago.

Apesar de quase todos os açorianos conhecerem ja as Termas do Carapacho, é preciso reforçar a divulgação, na opinião de João Carlos Nunes, para que os habitantes das restantes ilhas procurem a Graciosa pelas suas termas.
O responsável do INOVA realça as boas condições de utilização das termas, desde que o espaço foi requalificado e frisa que as águas do Carapacho são uma "mais-valia" do ponto de vista terapêutico, sendo já "qualificadas", em termos de aplicações médicas.

O INOVA realiza estudos sobre a qualidade das águas termais, a sua captação e a sua qualificação do ponto de vista legal não só no Carapacho, como nas termas da Ferraria, do Varadouro e das Furnas, bem como nas Caldeiras da Ribeira Grande.

 À margem do colóquio  será realizado ainda um curso sobre  "Geofarmácia e Cosmética", cuja participação está limitada a um máximo de 30 participantes, mediante inscrição e pagamento prévios.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Diário Insular,

http://www.diarioinsular.com/