É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Mundial na Terceira ATLETISMO PARA ATLETAS n COM SÍNDROME DE DOWN

Sábado, dia 12 de Maio de 2012

A Secretária Regional da Educação e Formação apresentou ontem, em Angra do Heroísmo, o figurino do 2º Campeonato do Mundo de Atletismo para atletas com síndrome de Down, que se realiza, de 15 a 21 de Maio, na ilha Terceira, com 12 países representados.

África do Sul, Brasil, Camarões, Costa Rica, Finlândia, Grã-Bretanha, Itália, Macau, México, Portugal, Turquemenistão, Turquia e Venezuela, são as selecções presentes, com um total de 150 participantes, entre atletas e técnicos.

Este evento integra-se em três níveis competitivos: internacional, assegurado pela Internacional Atletic Association for Persons With Down Sindrome (IAADS), nacional, através da Associação Nacional de Desporto para a Deficiência Intelectual (ANDDI), e regional com a parceria da Associação de Atletismo da Ilha Terceira.

Falando na ocasião, Cláudia Cardoso sublinhou o interesse da iniciativa para a Região e destacou o apoio de 50 empresas e entidades açorianas no apoio logístico, nomeadamente ao nível do transporte, fornecimento de medalhas, apoio médico, lembranças e por produtos regionais, bem como “a colaboração com a sociedade civil através da participação de mais de 40 voluntários no apoio à organização das provas”.

A governante sublinhou, por outro lado, que a actividade física desportiva adaptada “tem sido uma preocupação constante, ao longo dos últimos 15 anos”, expressando-se inicialmente “através da concessão de apoios com prevalência para a aquisição de material específico e para a formação de recursos humanos, dotando as entidades de melhores condições para a sua prática”.

Para garantir “um impulso forte a esta área tão relevante”, acrescentou, “no início da presente década elaborou-se um plano de acção para o desenvolvimento e a regulamentação do apoio à prática regular e à participação regional e nacional, para garantir igualdade de oportunidades no acesso e a aproximação aos modelos doutras áreas da actividade física e desportiva”.

Cláudia Cardoso referiu, ainda, que este esforço do Governo Regional “teve frutos”, havendo, actualmente, 76 núcleos que desenvolvem actividade regular na Região, quer na vertente da promoção da actividade física, quer na vertente competitiva.

Esta organização regular, nas suas diferentes expressões recebeu apoios do Governo Regional, na ordem dos 100 mil euros, envolvendo mais de 730 praticantes, de 30 entidades, dispersos por sete ilhas, em 13 modalidades, tais como o futsal, o atletismo, o goal-ball, a natação e a vela.

A Secretária Regional lembrou, também, que o Governo dos Açores garantiu a participação em competições nacionais a grupos que revelam um trabalho de qualidade, e dotou de condições de acessibilidade as infraestruturas desportivas utilizadas, quer as integradas nos Parques Desportivos quer as instalações desportivas escolares.

 “No sistema educativo regional, praticamos uma política coerente de integração das nossas crianças e jovens, pioneira a nível nacional e na senda do estipulado na declaração de Salamanca, nunca esquecendo a actividade física nomeadamente o desporto escolar”, disse ainda.

As opções do Governo dos Açores, em matéria de Desporto Adaptado, “asseguraram quer o aumento exponencial da quantidade, da regularidade e da diversidade da prática, quer também a qualidade espelhada nos títulos nacionais e internacionais obtidos pelos nossos atletas como se verificou recentemente na XI Gala do desporto açoriano”, acrescentou.

Fomos pioneiros no nosso país, na relevância dada ao carácter inclusivo do desporto, e contamos com uma atleta campeã do mundo no primeiro campeonato de atletismo para atletas com síndrome de Down, realizado em 2010 no México.

A terminar, Cláudia Cardoso disse que a organização deste Campeonato do Mundo nos Açores “não acontece por acaso”, resulta de “um projecto coerente, com objectivos bem definidos que geraram verdadeira igualdade na nossa Região e que transformaram a diferença numa real potencialidade, operando democracia”.

Fonte: A União,

http://www.auniao.com/noticias/ver.php?id=27993




Quiosques de Turismo