É necessário a instalação do Flash Player para conseguir visualizar correctamente esta página.
Clique aqui para mais informação.

Notícias

Museu acolhe exposições temporárias

Sábado, dia 16 de Junho de 2012

O Museu de Angra do Heroísmo acolhe, desde a passada sexta-feira, duas exposições temporárias, “Francisco de Lacerda: os legados do maestro” e “Festas do Espírito Santo - a contemporaneidade da herança açoriana”.

O Museu de Angra do Heroísmo apresenta, desde a passada sexta-feira, dia 15 de Junho, duas exposições temporárias: Francisco de Lacerda: os legados do maestro e Festas do Espírito Santo - a contemporaneidade da herança açoriana.

A apresentação pública, na Sala do Capítulo, do espólio de Francisco de Lacerda (1869/1934), um dos mais notáveis e reconhecidos maestros e compositores portugueses de todos os tempos, constitui o principal mote da primeira, realizada no âmbito de um projeto mais vasto, apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, de salvaguarda e divulgação deste acervo documental.

Obras originais do compositor, instrumentos musicais, correspondência com figuras ilustres, canções populares das mais diversas regiões do país, entre muitas outras peças, dão a conhecer a personalidade singular e multifacetada do ilustre jorgense que foi também musicólogo, folclorista, conferencista, ilustrador e poeta. Esta exposição reveste-se, pois, de especial relevância para as escolas de música, filarmónicas, grupos folclóricos e outros agrupamentos musicais.

Por seu turno, a Sala Dacosta acolhe, até 28 de Outubro, a exposição recentemente inaugurada, Festas do Espírito Santo - a contemporaneidade da herança açoriana, que integra registos fotográficos das Festas do Espírito Santo, realizados por Mari Lyn e Vernon Salvador, em 1976-1978, nos Açores e nas comunidades de emigrantes na Califórnia.

 Estes são complementados por uma recolha posterior, relativa ao culto do Divino na Terceira, datada de 2011, da autoria de Sérgio Salvador, que dá continuidade ao projeto familiar de criar, através da fotografia, uma espécie de lugar onde um mesmo povo, os que ficaram e os que emigraram, se pode refletir e ligar no que foi inexoravelmente separado pelo espaço e pelo tempo.

Fonte: Jornal Diário,

http://www.jornaldiario.com/ver_noticia.php?id=42138




Quiosques de Turismo




Recomendar este sítio a um amigo Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados